quinta-feira, 15 de setembro de 2016

CARTA ABERTA AOS JOVENS PROCURADORES

Caros senhores procuradores. Reconheço que vocês são bons decoradores de apostilas, já que foram aprovados em um dos mais difíceis concursos das tantas carreiras jurídicas, aliás, as mais cobiçadas no Brasil diante dos subsídios e demais penduricalhos que elas oferecem, sem falar na segurança após o transcorrer do período probatório.

Agora, se me permitem, cumpram apenas as funções constitucionais para as quais os senhores foram nomeados. Ao menos por enquanto, não se arvorem a heróis e não tentem interferir na política, pois a possibilidade de errar o rumo a seguir, ainda é muito grande para quem está apenas começando a caminhada, passou toda a juventude decorando teorias que ao serem colocadas em confronto com a prática da vida e do mundo jurídico que vocês ainda não possuem, irão perceber que são quase que totalmente inócuas e não terão serventia alguma, a não ser quando se quer demonstrar erudição para alguma eventual platéia.

Política não é para amadores. Para militar nesta seara, é preciso estômago forte, muita perspicácia, muita vivência, ter percorrido muitos caminhos espinhosos e principalmente, ser afeito ao debate e a saber perder e ganhar sem ter que se valer do aparato estatal para se proteger como acontece com os senhores. Sim, porque tenho a convicção (sem qualquer ironia) de que sem o respaldo do estado vocês não resistiriam uma semana vivendo no mundo dos seres comuns, transitando nas vilas, nos becos, nas vielas, lugares que talvez nunca tenham transitado.

Além do que, no mundo da política campeia muita hipocrisia, traição, irmão entregando irmão e outros sentimentos rasteiros que talvez os senhores não estejam ainda capacitados para enfrentarem. O mundo dos fatos, a realidade nua e crua vai muito além dos livros e apostilas que os senhores tiveram a oportunidade de passar a vida lendo para galgarem as posições que hoje ocupam. Oportunidades que este velho e experiente ex-presidente que hoje vocês perseguem com tanto denodo na busca da glória fugidia de serem os responsáveis por sua prisão, deu e estava tentando ampliar através de sua sucessora para milhões de brasileiros das camadas mais necessitadas de nossa desigual pirâmide social.

Na verdade jovens procuradores, ao contrário do que imaginam, vocês não atingirão os píncaros da glória com estas atitudes pretensamente heróicas com as quais vocês imaginam que irão ser um dia considerados salvadores da pátria Brasil. Não, vocês estão servindo apenas como instrumentos momentâneos dos desígnios daqueles velhos escravocratas que querem recuperar o poder que não conseguem mais obter pela legitimidade da força do voto democrático.

Depois, conseguindo ou não atingir o intento a que foram induzidos a atingir, serão descartados em um canto qualquer como um brinquedinho que a criança rica enfastiada brinca uma ou duas vezes e depois esquece ou joga na lata de lixo. Aliás, lata de lixo é o destino de todos os falsos heróis que surgiram nos últimos anos transitando pelo judiciário e pelo ministério público. E se os senhores continuarem insistindo nesta toada, este será também o ponto final de suas histórias pessoais e profissionais. E lá dentro dela, vocês irão se encontrar e terão que conviver o resto de suas vidas com os golpistas, os traidores, os hipócritas e toda aquela malta que insiste em ser inimigo do povo e não admite sequer a possibilidade de que o princípio da solidariedade possa imperar e tornar o Brasil um país melhor e com mais igualdade.

E este o triste destino final que vocês querem para suas vidas? Tenho a firme convicção de que não, embora não possua provas concretas que possam fundamentar tal assertiva...

Jorge André Irion Jobim. Advogado de Santa Maria, RS


Um comentário:

Benedito Jr. Mendes disse...

Concordo plenamente quanto diz "Aliás, lata de lixo é o destino de todos os falsos heróis que surgiram nos últimos anos....", principalmente na classe politica, que se colocam numa posição acima da lei.