sexta-feira, 23 de setembro de 2016

RESPOSTA AO JORNAL DA GLOBO QUE TENTOU ME CONTRATAR. Por Leo Mendes

Fui convidado a escrever uma coluna no jornal Diário Catarinense, do grupo RBS, braço da Globo no sul do país. Abaixo a minha resposta, em forma de carta aberta:

Queridxs amigxs da RBS/Globo,

confesso que fiquei bastante feliz com o convite, mas sou obrigado a decliná-lo.

É uma questão de princípios: eu não trabalho para empresas que atentam contra a democracia e que atuam de modo tão sujo quanto a Globo, a serviço de ideais tão mesquinhos.

Confesso também que perguntei quanto vocês estariam dispostos a me pagar, apenas por curiosidade, e peço desculpas por isso.

É que eu assisti esses dias ao filme Nove Rainhas, em que um dos personagens diz que não faltam garotos de programa, o que falta é potencial de investimento.

Digamos que por 1 milhão de reais eu aceitaria o cargo, por dois meses. E depois passaria a vida me purificando da experiência de trabalhar para a Globo.

Sabia que o valor oferecido não seria esse, e que eu não aceitaria, por isso peço desculpas por ter feito vocês perderem tempo elaborando uma proposta.

Eu prefiro vender o meu corpo na esquina mais imunda, a vender meu trabalho como jornalista a uma empresa como a Globo.

Não julgo aqueles que o fazem, e inclusive tenho grandes amigxs nessa empresa, que considero pessoas maravilhosas.

Acredito que essxs amigxs acreditem que a Globo pode mudar, que elxs possam ajudar nessa mudança.

Já eu acredito que o jornalismo da Globo não tem salvação, e é uma questão de tempo perder a pouca credibilidade que lhe resta, junto à parcela mais ignorante da sociedade, ou seja, a classe média que vai às ruas com a camisa da CBF contra a corrupção.

Um avanço civilizatório fatalmente acabará com isso, e a família Marinho terá que aceitar que não lhe resta futuro no jornalismo, talvez apenas no entretenimento e dramaturgia (a série Justiça é ótima).

Por isso entrar para o time de jornalistas da Globo, para mim seria lutar contra esse avanço civilizatório.

Eu espero ainda poder comemorar o fim do Jornal Nacional, o fim do Diário Catarinense, a venda de toda a estrutura jornalística a disposição da família Marinho e de seus comparsas.

A Globo é hoje a minha Bastilha. Sua queda é a minha vitória.

Nossas diferenças são inconciliáveis.

Sinceramente,


http://www.diariodocentrodomundo.com.br/resposta-ao-jornal-vinculado-a-globo-que-tentou-me-contratar-por-leo-mendes/

4 comentários:

Adriana Cattini disse...

SE todos os jornalistas cidadãs, cidadãos brasileiros conscientes sérios, competentes, dignos respondessem com a mesma sinceridade os convites da GLOBO essa mídia que torce pelo fracasso do Brasil já teria desparecido!

clecio baima lima Baima disse...

que cacetada no focinho da globosta,amigo vc lavou minha alma e grande parte do povo brasileiro(menos os coxinhas sadomasoquistas manipulados e os fascistas de plantão.
mil vezes parabéns

vera lucia dias medeiros disse...

A resposta que eles mereciam , BRAVO!!!!!!!

José de Oliveira Luiz disse...

Desculpas dos Marinho ao povo brasileiro não bastam. Devolver as concessões, equipamentos, instalações adquiridos através de imunidades tributárias e outros que tais, é o mínimo pelos Danos morais, materiais, financeiros, ambientais, causados ao povo brasileiro e bens comuns.